Sistemas isolados de produção de água reduzem oferta

0
1181

Durante a estiagem, recomenda-se que todos façam uso consciente da água, para evitar desabastecimento. Recomendação vale, principalmente, para moradores de algumas regiões do DF

Apesar de o Distrito Federal estar com os níveis dos reservatórios de água mais altos do que no mesmo período de anos anteriores, a seca requer atenção e cuidados extras por parte dos consumidores. A recomendação geral é de que todos usem água de forma consciente, em especial durante os períodos de estiagem.

Em locais abastecidos por sistemas que dependem de poços e de mananciais pequenos ou médios, a estiagem traz redução no volume hídrico. É o caso de Brazlândia, Sobradinho, Planaltina, Jardim Botânico e São Sebastião, onde a oferta de água diminui, especialmente entre agosto e novembro, meses durante os quais os córregos ficam com pouca água.

O sistema Brazlândia possui duas captações superficiais, Barrocão e Capão da Onça, que não são interligadas com os demais sistemas do DF. Já o sistema Sobradinho-Planaltina, o mais complexo do Distrito Federal, conta com inúmeras captações superficiais e subterrâneas, além da interligação com o subsistema da Estação de Tratamento de Água (ETA) Lago Norte. O sistema São Sebastião-Jardim Botânico, por sua vez, recebe água do sistema Torto-Santa Maria, da captação do córrego Cabeça de Veado e também dos poços de São Sebastião.

Mudanças de hábito

Mudar os hábitos de consumo pode ser uma medida eficaz na manutenção dos níveis dos reservatórios. Reduzir o tempo de banho para cinco minutos, por exemplo, ajuda a economizar 90 litros de água. Consertar vazamentos também é muito importante. Uma torneira pingando desperdiça 46 litros de água por dia; e, se o vazamento for maior, em forma de filete, o desperdício pode chegar a 750 litros por dia.

Pisos e calçadas devem ser varridos; se for preciso molhar para retirar a sujeira, o ideal é reutilizar a água usada na lavagem de roupas | Foto: Renato Araújo/Agência Brasília

O simples ato de escovar os dentes com a torneira fechada e só abrir para enxaguar a boca pode economizar 16 litros de água.  A lavagem de calçadas, outro hábito que acarreta gasto excessivo, é um hábito que pode e deve ser mudado. Uma alternativa é varrer em vez de usar a mangueira, atitude que gera uma economia de, em média, 120 litros de água. E, se for mesmo preciso molhar para retirar a sujeira, a dica é utilizar a água usada na lavagem de roupas para limpar as calçadas.

Com informações da Caesb

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui